Síndrome de Abstinência Neonatal (NAS)

A síndrome de abstinência neonatal (NAS) é uma condição neurológica resultante da exposição pré-natal a opióides. A cessação repentina de opioides em recém-nascidos pode levar a sintomas de abstinência que afetam os sistemas neurológico, respiratório e gastrointestinal. O aumento do uso de opióides nos Estados Unidos levou a um aumento na incidência de bebês nascidos com NAS. Apesar da crescente incidência de NAS, há uma falta de diretrizes padronizadas para intervenção e gerenciamento. Estudos recentes sugerem que os métodos não farmacológicos devem ser usados como intervenções de primeira linha para a redução dos sintomas do NAS. Dos métodos não farmacológicos, a crescente literatura sugere que a amamentação pode ter o potencial de reduzir a gravidade dos sintomas e melhorar os desfechos. Numa revisão que contou com 7 estudos experimentais / quase-experimentais publicados de 1997 a 2018, obtidos a partir das bases de dados PubMed e Medline, em relação a desfechos em neonatos alimentados com leite materno e alimentados com fórmula com exposição pré-natal a opioides mostrou uma forte correlação entre a amamentação e uma redução do tempo de internação hospitalar, diminuição da gravidade da apresentação da NAS, e uma diminuição da necessidade de intervenções farmacológicas em crianças diagnosticadas com NAS. A partir desses achados, os autores recomendam o aleitamento materno como um componente integral do manejo precoce da NAS.

Fonte: Wu D, Carre C (July 28, 2018) The Impact of Breastfeeding on Health Outcomes for Infants Diagnosed with Neonatal Abstinence Syndrome: A Review. Cureus 10(7): e3061. DOI 10.7759/cureus.3061


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *